A- A A+

Desenvolver ferramentas para inserir o cidadão e o turista no centro do ecossistema do turismo. Esse foi o desafio apresentado no evento "Turismo Inteligente na prática", realizado nesta quarta-feira, 11, na sede da Santur, em Florianópolis. O debate, promovido pela Rede de Inteligência do Turismo de Santa Catarina contou com a presença de Enrique Lancis Sanjoquin e Fernando Cobos Guerra. Sanjoquin é diretor de Inovação da GLOBALDIT e coordenador do grupo de trabalho de turismo na comissão de Smart Cities. Guerra é especialista em Urbanismo e em Documentação e Restauração de Monumentos e doutor em Arquitetura.

  

Os dois pesquisadores espanhóis abordaram a transformação dos destinos turísticos em ecossistemas inteligentes, processo composto por outros quatro entes, além do cidadão e do turista: empresas, administração local, espaços e serviços públicos. Nesse sentido, Enrique discutiu as possibilidades de a tecnologia auxiliar empresas e serviços a interagir com o viajante no próprio destino: "Precisamos não apenas trazer mais turistas aos destinos, mas, sobretudo, fazer com que eles tenham experiências personalizadas e de valor", pontuou.

A recuperação do patrimônio cultural como um ativo da indústria do turismo foi outro tema em discussão. Guerra mencionou o exemplo de recuperação de Ponferrada, município da região noroeste da Espanha. A cidade revitalizou seus mais de 15 monumentos históricos e hoje recebe mais de 160 mil visitantes por ano: "Reconhecer e valorizar o patrimônio cultural faz parte da percepção que o cidadão tem do local onde vive. A cidade tem que ser agradável aos seus habitantes, em primeiro lugar", destacou Guerra.

O debate foi mediado pelo professor do departamento de Engenharia do Conhecimento da UFSC, Alexandre Biz, que destacou a importância de continuar a agenda de trabalho da Rede de Inteligência nos próximos meses: "Nós precisamos cada vez mais trabalhar de forma conjunta, com planos integrados, olhando a longo prazo para alcançar a sinergia que desejamos".

A presidente da Agência de Desenvolvimento do Turismo de SC (Santur), Flavia Didomenico, destacou que SC já possui um ambiente de negócios favorável: "Já temos o ecossistema, mas ele está voltado a outros segmentos. Precisamos fazer com que o nosso turismo acesse esse paradigma de integração e cooperação".

Na visão do superintendente de turismo da Prefeitura de Florianópolis, Vinicius de Lucca, a Rede de Inteligência do Turismo tem tudo para ser protagonista das transformações necessárias no setor: "Eventos como esse são fundamentais para colaborar com a mudança dos paradigmas da atividade turística".

A realização do evento foi a primeira ação da Rede de Inteligência de Santa Catarina, uma parceria firmada em agosto deste ano entre a Fecomércio, Fecam, Santur e UFSC. O objetivo da Rede é promover a cooperação entre as entidades do Estado e trabalhar em conjunto na geração de inteligência de mercado para o turismo, com produção de estudos e pesquisas, além da sistematização, análise e monitoramento de indicadores do setor. Para Flavia, a integração entre o poder público e o trade de turismo é que vai trazer desenvolvimento para destinos e cidades inteligentes: "É preciso unificar essas estratégias e pensar de forma conjunta para entender que todos têm um papel importante no desenvolvimento do turismo no Estado".

 

EVENTO NA ÍNTEGRA:
O evento foi gravado na íntegra e deve ser disponibilizado em breve no canal do Youtube da Rede.

 

 

Informações: Ana Paula Flores (Ascom Santur)

Fotos: Saul Oliveira Filho (Ascom Santur)

JSN Boot template designed by JoomlaShine.com

Desenvolvimento: logo ciasc rodape | Gestão do Conteúdo: SANTUR | Tecnologia: Open Source | Acesso restrito