A- A A+

Desenvolver a chamada economia do mar em seus quatro pilares. Foi esse o principal objetivo da primeira reunião de aproximação entre a Agência de Desenvolvimento do Turismo de Santa Catarina (Santur) e o consulado britânico no Rio de Janeiro. Na conversa virtual, com o cônsul honorário, Michael Delaney, e também Laura Matucci e Ana Terra Higino, que integram o consulado, o presidente da Santur, Leandro "Mané" Ferrari iniciou as tratativas para apresentar ao trade náutico catarinense possíveis parceiros para investimentos privados no Estado. 

Segundo Laura Matucci, que atua com o setor náutico do consulado britânico, esse é o momento de aproximação com Santa Catarina para trazer investidores ingleses para atuarem com as empresas catarinenses. Desta forma, a Santur que representa um importante pilar desta economia que cresce em todo o mundo, o turismo, irá conjuntamente com GT Náutico trabalhar as possíveis parcerias e auxiliar nos anseios de empresários britânicos para, assim, possivelmente se encaixar em projetos futuros. 

Além disso, a Santur deve ampliar a sua promoção turística na área náutica em eventos e feiras realizadas na Inglaterra. Em um primeiro momento, há a possibilidade de ser montada uma comitiva com empresários do setor, à convite da Embaixada, para, quando os eventos estiverem liberados diante da pandemia, ter a presença da Agência na Southampton International Boat Show prevista para acontecer em 2021. 

- Essa aproximação com mercados internacionais, como já fazemos muito bem com a Itália e Espanha, por exemplo, é fundamental para a chamada economia do mar. Os caminhos existem e queremos proporcionar o máximo possível para que o setor náutico tenha esse diálogo com empresas britânicas e, ao mesmo tempo, para que possamos promover o nosso Estado na Europa - destacou "Mané" Ferrari. 

Nas próximas semanas, uma nova reunião deve acontecer, mas, desta vez, além da presença da Santur também com a participação dos integrantes do GT Náutico, que é formado por lideranças municipais e empresários voltados ao setor náutico. 

- O investimento britânico na infraestrutura náutica no Brasil e também nos Estados é um foco do nosso trabalho. Atualmente temos empresas que querem ser parceiras das empresas que atuam neste mercado no Brasil e principalmente em Santa Catarina que é o polo náutico da náutica brasileira, para isso, precisamos conversar sobre as possibilidades que temos. E estamos totalmente abertos para isso, o nosso trabalho é abrir portas - disse Ana Terra Higino, responsável pela economia do mar no consulado.

JSN Boot template designed by JoomlaShine.com

Desenvolvimento: logo ciasc rodape | Gestão do Conteúdo: SANTUR | Tecnologia: Open Source | Acesso restrito