A- A A+

O acesso facilitado ao crédito para auxiliar as empresas do turismo a enfrentar os impactos da Covid-19 é uma das prioridades do Governo de Santa Catarina. O valor disponibilizado pelos bancos de fomento para o setor chegará a R$ 329 milhões em 2021, considerando os repasses desde o início da pandemia. Além disso, ainda há o apoio aos microempreendedores individuais com o Programa Juro Zero e a regulamentação de um fundo de aval para quem não dispõe de garantias reais para acessar o sistema financeiro.

viajeseguro sc

Foto: Cristiano Estrela / Arquivo/  Secom

- O Governo do Estado está sensível ao momento desafiador do segmento turístico, um dos grandes motores da nossa economia, em meio à pandemia. Os recursos são fundamentais para uma retomada das atividades com mais tranquilidade, preservando emprego e renda dos catarinenses - afirma o governador Carlos Moisés

Outra ação do Governo do Estado passa pela a Agência de Desenvolvimento do Turismo de Santa Catarina (Santur) que tem atuado em parceria com o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) e o Badesc para que o dinheiro chegue mais rápido no caixa de quem mais precisa.

- A atuação da Santur em parceria com os bancos de fomento do estado representa a soma de esforços para que os recursos do Fungetur sejam liberados o mais rápido possível para socorrer os negócios do turismo. Foi um novo desafio que assumimos ao colocar nossa equipe para trabalhar junto com os bancos com o objetivo de atender os empreendedores do turismo com a agilidade que o momento pede - enfatiza Leandro “Mané” Ferrari, presidente da Santur.

Até o momento, as operações realizadas no âmbito da parceria entre a Santur e as agências de fomento somam R$ 25 milhões e 150 contratos, atendendo predominantemente micro e pequenos negócios do turismo. Foram 136 operações de crédito para micro e pequenas empresas e outras 14 para médias empresas.

Na soma total, o BRDE liberou R$ 62 milhões desde o início da pandemia, com projeção de mais R$ 130 milhões ainda neste ano, entre recursos próprios e do Fundo Geral do Turismo (Fungetur). Segundo o diretor financeiro da instituição, Marcelo Haendchen Dutra, as linhas de crédito para atender o setor turístico buscam suprir situações emergenciais dos clientes, com taxas de juros reduzidas, simplificação de processos e flexibilização de garantias.

- Buscamos oferecer esse apoio, desde o início da crise, em especial às micro, pequenas e médias empresas e aos empreendedores individuais que demandam capital de giro para superar os prejuízos econômicos provocados pela pandemia - explica Dutra.

A essas cifras, somam-se R$ 37 milhões do Fungetur disponibilizados pelo Badesc, que agora terá o aporte de mais R$ 100 milhões, conforme anúncio do governador Carlos Moisés na última sexta-feira, 19. O presidente do banco, Eduardo Machado, destaca que o aporte adicional possibilitará ampliar o limite de crédito das operações realizadas com o setor. 

- A classe turística é a que mais vem sofrendo com a pandemia e o Badesc, com apoio da Santur, não tem medido esforços para atender o mais rápido possível e fazer o recurso chegar na mão do empreendedor - completa Machado.

Solicitação via Viaje+SC

O gerente de Promoção Turística da Santur e coordenador do trabalho de cooperação com as agências de fomento de Santa Catarina, Fábio Farber, destaca a distribuição do crédito como outro aspecto positivo, possibilitando que um maior número de empresas seja beneficiada pela ação. 

- O recurso foi bem pulverizado entre as empresas, o que é muito bom. Além de um maior número de contratos, isso possibilitou atender diferentes segmentos. Vale salientar que as empresas podem solicitar o atendimento para acessar o Fungetur no portal do Programa Viaje+SC, da Santur - acrescenta Farber.

​Os recursos disponibilizados podem ser usados para capital de giro das empresas, como restaurantes, bares, empresas de eventos, entre outras passíveis de cadastro junto ao Ministério do Turismo (Cadastur), podendo ser aplicados na aquisição de máquinas e equipamentos, como na construção de novos empreendimentos ou reformas e obras de ampliação.

Fundo garantidor

Os empreendedores de Santa Catarina também contam com o Fundo de Aval do Estado (FAE/SC), criado para auxiliar aqueles que não dispõem de garantias reais para a contratação de um empréstimo. Com o aporte de R$ 164 milhões, divididos em 24 parcelas, o Governo do Estado projeta até R$ 1,64 bilhão em financiamentos para impulsionar a retomada econômica.

Programa Juro Zero

Além do FAE/SC, microempreendedores individuais no turismo também podem ser atendidos pelo Programa Juro Zero, que disponibiliza empréstimos de até R$ 5 mil. O valor pode ser parcelado em oito prestações, sendo que a última parcela é isenta caso as sete primeiras sejam quitadas em dia. Para participar do Programa, o MEI deve ter receita anual de até R$ 81 mil e ser formalizado. 

O Juro Zero é  coordenado pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável e operacionalizado pelo Badesc. Conta ainda com parceria da Associação das Instituições de Microcrédito e Microfinanças da Região Sul do Brasil (Amcred) e do Sicoob - Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil.

Em 2020, o Juro Zero registrou recorde, com mais de R$ 59 milhões em concessões de crédito entre janeiro e dezembro, que atenderam 14,4 mil operações - um aumento de 67% no valor disponibilizado, comparando com o mesmo período de 2019.

 

JSN Boot template designed by JoomlaShine.com

Desenvolvimento: logo ciasc rodape | Gestão do Conteúdo: SANTUR | Tecnologia: Open Source | Acesso restrito